quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Pérolas do vestibular


Redação
* Sobrevivência de um aborto vivo (título).
* O Brasil é um país abastardo com um futuro promissório.
* O maior matrimônio do país é a Educação.
* Precisamos tirar as fendas dos olhos para enxergar com clareza o número de famigerados que almenta (sic).
* Os analfabetos nunca tiveram chance de voltar à escola.
* O bem star (sic) dos abtantes endependente (sic) de roça, religião, sexo e vegetarianos, está preocudan-do-nos.
* É preciso melhorar as indiferenças sociais e promover o saneamento de muitas pessoas.
* Também preoculpa (sic) o avanço regesssivo da violência.
* Segundo Darcy Gonçalves (Darcy Ribeiro) e o juiz Nicolau de Melo Neto (Nicolau dos Santos Neto).
* E o presidente onde está? Certamente em sua cadeira, fumando baseado e conversando com o presidente dos EUA.

História
* O hino nacional francês se chama La Mayonèse...
* Tiradentes, depois de morto, foi decapitulado.
* Resposta a uma pergunta: "Não cei".
* Entres os índios de América, destacam-se os aztecas, os incas, os pirineus, etc.
* A História se divide em 4: Antiga, Média, Moderna e Momentânea (esta, a dos nossos dias).
* Em Esparta as crianças que nasciam mortas eram sacrificadas.
* Resposta à pergunta: "Que entende por helenização?": "Não entendo nada".
* No começo os índios eram muito atrazados mas com o tempo foram se sifilizando.
* Entre os povos orientais os casamentos eram feitos "no escuro" e os noivos só se conheciam na hora h.
* Então o governo precisou contratar oficiais para fortalecer o exército da marinha.
* Em homenagem a Gutenberg, fizeram na Alemanha uma estátua, tirando uma folha do prelo, com os dizeres: "e a luz foi iluminada".
* No tempo colonial o Brasil só dependia do café e de outros produtos extremamente vegetarianos.

Fonte: Wikipédia.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Projeto

Projeto de lei apresentado na Assembléia Legislativa pela deputada Tetê Santos (PSDB) prevê a obrigatoriedade do uso de equipamentos de proteção pelos serventes e zeladores das escolas públicas do Estado. O objetivo, é claro, é proteger a saúde dos servidores, hoje expostos aos perigos de produtos químicos e bactérias.

Mensagem do dia

Clique na imagem para ampliar

Seduc inicia pré-matrícula de novos alunos

Alunos que desejam estudar em uma escola da rede estadual de ensino em 2009 já poderão fazer a sua pré-matrícula na rede. A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) dá início, a partir de hoje, à segunda etapa do ingresso de estudantes na rede pública de ensino, iniciado no dia 10 de novembro com a pré-matrícula de alunos com necessidades especiais.

Desta vez, a pré-matrícula será voltada aos novos alunos. Mas as pessoas com necessidade especiais que ainda não se inscreveram ainda podem fazê-lo, só que junto com os demais alunos. Esse período vai até 27 de dezembro. Até sexta-feira, quando se encerrou o período específico para a pré-matrícula dos alunos especiais, tinham se cadastrado 644 candidatos, sendo 403 só em Belém.

Para intensificar o processo de pré-matrícula 2009, e evitar as penosas filas para aqueles que pleiteiam uma vaga na escola pública, a Seduc colocou à disposição dois números telefônicos na central de atendimento: 0800-7220078 e 0800-2800078.

Os interessados também podem efetuar suas matrículas por meio dos infocentros do programa 'Navegapará', pelo site da Secretaria de Educação: www.seduc.pa.gov.br.

Os infocentros estão funcionando no Lar Fabiano de Cristo, no Guamá; Centro Comunitário da Nova Marambaia; Centro Cultural São Domingos de Gusmão, na Terra Firme; Curro Velho, no Telégrafo; e Cosanpa, Curió-Utinga.

A pré-matrícula também será disponibilizada em um palco móvel, equipado com computadores e internet, que será inaugurado no dia 30, na Praça da República, e vai circular nas praças e lugares movimentados da cidade.

O processo de matrícula 2009 termina no dia 6 de fevereiro. O ano letivo começará no dia 16 do mesmo mês.

Este ano, o Estado oferece 290 mil novas vagas para as escolas da rede estadual de ensino. Nos últimos dois anos foram mais de 550 mil novas vagas ofertadas. Em 2009, a expectativa é de que a rede estadual alcance 1 milhão de alunos em todo o Estado, já que atualmente já existem cerca de 800 mil alunos na rede.

Também a partir de hoje começa a confirmação da matrícula para os alunos novos com necessidades especiais que fizeram a pré-matrícula. Esse período vai até 27 de dezembro. A rematrícula para quem já pertence à rede começa no dia 29 de dezembro e vai até 16 de janeiro.

Esse processo é automático, e os alunos não precisam ir à escola para fazê-lo. A confirmação de alunos novos e o processo de remanejamento e transferência de alunos da rede, vai de 19 a 21 de janeiro de 2009. Os retardatários terão o mês de fevereiro para efetivar suas matrículas. O início do ano letivo está previsto para o dia 16 de fevereiro.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

20/11/08 - 06h01 - Atualizado em 20/11/08 - 06h01
Dia da Consciência Negra ressalta papel do negro na história do Brasil
Feriado não é nacional e será adotado em mais de 300 cidades.
Data foi escolhida para lembrar assassinato de Zumbi dos Palmares.
Do G1, em São Paulo
Desfiles cívicos de escolas e grupos culturais marcaram comemorações no Rio de Janeiro, em 2007 (Foto: Alícia Uchôa/G1)
Parte do país celebra, nesta quinta-feira (20), o Dia da Consciência Negra. Segundo a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), órgão da Presidência da República, a data foi escolhida para lembrar o assassinato de Zumbi, líder do quilombo dos Palmares, que aconteceu em 20 de novembro de 1695.

"O dia é resultado de uma série de mobilizações do movimento negro para ressaltar não apenas as contribuições culturais que os negros trouxeram ao país, mas para trazer à tona a reflexão sobre o papel de protagonismo que a população negra ocupou em nossa história. Muitas vezes as pessoas não lembram que os negros vieram de um continente já civilizado e, portanto, nos trouxeram um conjunto de saberes que não eram dominados pelos europeus", diz Giovanni Harvey, sub-secretário de Política e Ações Afirmativas da Seppir, ao G1.

Segundo Harvey, um dos objetivos do Dia da Consciência Negra é tirar do foco apenas a lembrança da abolição da escravatura, celebrada em 13 de maio, para ressaltar os feitos da população negra, sintetizado na figura do Zumbi dos Palmares.

O feriado da Consciência Negra não é nacional e será adotado em mais de 300 cidades. A lista de cidades que irão aderir ao feriado, divulgada pela Seppir, conta com 350 cidades (veja abaixo), mas com imprecisões. De acordo com a própria secretaria, as informações são dispersas e o feriado é definido por cada município.
saiba mais
Mais de 300 cidades adotam feriado no Dia da Consciência Negra
Comemorações
Para marcar o Dia da Consciência Negra, a Seppir vai promover, a partir das 14h desta quinta-feira, uma atividade cultural na Praça XV, no Rio de Janeiro. O evento contará com a instalação de um monumento em homenagem a João Cândido, o “Almirante Negro”, que liderou a Revolta da Chibata de 1910.

Ainda com o apoio da Seppir, outras comemorações serão realizadas pelo país. Em São Paulo, uma Marcha da Consciência Negra caminha pela Avenida Paulista. Em Salvador acontece a XXIX Marcha Zumbi dos Palmares. A caminhada tem saída às 15h da Praça do Campo Grande em direção à Praça Municipal.

Florianópolis vai comemorar o Dia da Consciência Negra com uma série de atividades no Largo da Alfândega, no Centro. Em Belo Horizonte, a Fundação Municipal de Cultura terá uma programação especial, que segue até 26 de novembro, com espetáculos, exibições de vídeos, exposições e palestras.
histórico de Dia da Consciência Negra
Qui, 20/11/2008
11h48
Negros relatam sofrer preconceito no ensino superior
Segurança barrou aluno por achar que se tratava de um ladrão de carro. 25% dos negros e pardos estão na universidade, contra 58% dos brancos.
09h59
SP tem só 1,3% de alunos negros em escolas de educação infantil pagas
No país, dos 6,5 milhões de alunos na rede paga, 1,72% é de negros. Dados são do Censo Escolar 2007, divulgados pelo Inep.
09h59
SP tem só 1,3% de alunos negros em escolas de educação infantil pagas
No país, dos 6,5 milhões de alunos na rede paga, 1,72% é de negros. Dados são do Censo Escolar 2007, divulgados pelo Inep.
Qua, 19/11/2008
13h35
Mais de 300 cidades adotam feriado no Dia da Consciência Negra
Feriado não é nacional e será facultativo em alguns municípios. Data marca assassinato de Zumbi, líder do quilombo dos Palmares.

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Palmares, a utopia.

Não há democracia racial no Brasil. Os negros são maioria nos presídios e nas favelas, são a maioria dos analfabetos e recebem os menores salários. O país com o maior número de negros do mundo fora da Africa não resolveu o seu passado. o 20 de novembro é um símbolo: a luta de um herói negro, Zumbi dos palmares, pela liberdade. A utopia palmarina não cessou. Deve ser buscada até que o Brasil reconheça de fato os brasileiros.

Fonte: Revista mundo jovem - leia, leia, leia.

MENSAGEM ESPECIAL


terça-feira, 18 de novembro de 2008

São João batista de La Salle
João Batista de La Salle nasceu a 30 de abril de 1651, em Reims, na França. Foi Sacerdote e teólogo. Em 1680, com a ajuda de um grupo de professores, criou as Escolas Cristãs. Esse grupo tornou-se a Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs (Lassalistas). Suas escolas enfrentaram muitas dificuldades e perseguições.La Salle faleceu a 07 de abril de 1719, em Rouen, na França. Os Irmãos se espalharam pelo mundo, abrindo diversas obras educativas. A 24 de maio de 1900, La Salle foi declarado Santo, pela Igreja Católica. A 15 de maio de 1950, La Salle foi declarado Padroeiro dos Educadores. Hoje, há Obras Lassalistas em oitenta países.

DEZ MÉRITOS PEDAGÓGICOS DE LA SALLE
  • Fundou a primeira Escola Normal para a formação dos professores.
  • Elevou o prestígio do Magistério, profissão desconsiderada em sua época.
  • Fundou as primeiras escolas para treinamento dos novos professores.
  • Sistematizou o ensino primário, organizando as classes por idade.
  • Criou escolas profissionais, emendativas e para adultos.
  • Sistematizou o método simultâneo de aula.
  • Suavizou a disciplina escolar da sua época, proibindo os castigos físicos.
  • Prestigiou a língua materna para o aprendizado do aluno.
  • Escreveu diversos textos sobre o bom funcionamento de uma escola.
  • Fundamentou sua Pedagogia no amor e no conhecimento dos alunos.


DEZ TRAÇOS DA PEDAGOGIA LASSALISTA

  1. A Educação deve basear-se no conhecimento do aluno.
  2. O Educador deve amar profundamente todos os seus alunos.
  3. A Educação deve fundamentar-se na Firmeza e na Ternura.
  4. Educador, em todas as situações, deve ser bom exemplo para os alunos.
  5. Todos os alunos devem participar ativamente nas atividades da escola.
  6. O Educador deve ter um afeto especial pelos alunos mais necessitados.
  7. O Educador deve considerar-se representante de Jesus frente aos alunos.
  8. Educador deve respeitar o ritmo de aprendizado de cada aluno.
  9. As correções aplicadas por indisciplina devem fundamentar-se na caridade.
  10. O Educador deve sempre colaborar para que a escola vá bem.

Educação - Rubem Alves



Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas.Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do vôo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o vôo.

Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dos pássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.

Rubem Alves

O que é o amor?




Amar é ter um pássaro pousado no dedo. Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento, ele pode voar”Rubem Alves

Carpe Diem para os Leitores do Blog da Florentina




"Carpe Diem" quer dizer "colha o dia". Colha o dia como se fosse um fruto maduro que amanhã estará podre. A vida não pode ser economizada para amanhã. Acontece sempre no presente.

Rubem Alves




“Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência,
essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.!“

Rubem Alves



A Arte de Ouvir

De todos os sentidos, o mais importante para a aprendizagem do amor, do viver juntos e da cidadania é a audição. É do silêncio que nasce o ouvir. Só posso ouvir a palavra se meus ruídos interiores forem silenciados. Só posso ouvir a verdade do outro se eu parar de tagarelar. Quem fala muito não ouve. Sabem disso os poetas, esses seres de fala mínima. Eles falam, sim. Para ouvir as vozes do silêncio. Veja esse poema de Fernando Pessoa, dirigido a um poeta: “Cessa o teu canto! Cessa, que, enquanto o ouvi, ouvia uma outra voz como que vindo nos interstícios do brando encanto com que o teu canto vinha até nós. Ouvi-te e ouvia-a no mesmo tempo e diferentes, juntas a cantar. E a melodia que não havia se agora a lembro, faz-me chorar...” A magia do poema não está nas palavras do poeta. Está nos interstícios silenciosos que há entre as suas palavras. É nesse silêncio que se ouve a melodia que não havia. Aí a magia acontece: a melodia me faz chorar.

Consciência Negra


Dia da Consciência Negra será feriado em 225 municípios.

O Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, será feriado em 225, de um total de 5.561 municípios do país, segundo levantamento da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. A data, que será celebrada em centenas de eventos pelo país, lembra o dia em que foi assassinado, em 1695, o líder Zumbi, do Quilombo dos Palmares, um dos principais símbolos da resistência negra à escravidão.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Filosofia


Mitologia Grega


Os gregos criaram vários mitos visando transmitir mensagens as pessoas e também com o objetivo de preservar a memória histórica de seu povo. Há três mil anos, não havia explicações científicas para grande parte dos fenômenos da natureza ou para os acontecimentos históricos. Portanto, para buscar um significado para os fatos políticos, econômicos e sociais, os gregos criaram uma série de histórias, de origem imaginativa, que eram transmitidas, principalmente, através da literatura oral.


Grande parte destas lendas e mitos chegou até os dias de hoje e são importantes fontes de informações para entendermos a história da civilização da Grécia Antiga. São histórias riquíssimas em dados psicológicos, econômicos, materiais, artísticos, políticos e culturais.


Os principais seres mitológicos da Grécia Antiga eram :


- Heróis : seres mortais, filhos de deuses com seres humanos. Exemplos : Herácles ou Hércules e Aquiles.

- Ninfas : seres femininos que habitavam os campos e bosques, levando alegria e felicidade.

- Sátiros : figura com corpo de homem, chifres e patas de bode.

- Centauros : corpo formado por uma metade de homem e outra de cavalo.

- Sereias : mulheres com metade do corpo de peixe, atraíam os marinheiros com seus cantos atraentes.

- Górgonas : mulheres, espécies de monstros, com cabelos de serpentes. Exemplo : Medusa- Quimeras : mistura de leão e cabra, soltavam fogo pelas ventas.


O Minotauro
É um dos mitos mais conhecidos e já foi tema de filmes, desenhos animados, peças de teatro, jogos etc. Esse monstro tinha corpo de homem e cabeça de touro. Forte e feroz, habitava um labirinto na ilha de Creta. Alimentava-se de sete rapazes e sete moças gregas, que deveriam ser enviadas pelo rei Egeu ao Rei Minos, que os enviavam ao labirinto. Muitos gregos tentaram matar o minotauro, porém acabavam se perdendo no labirinto ou mortos pelo monstro.Certo dia, o rei Egeu resolveu enviar para a ilha de Creta seu filho, Teseu, que deveria matar o minotauro. Teseu recebeu da filha do rei de Creta, Ariadne, um novelo de lã e uma espada. O herói entrou no labirinto, matou o Minotauro com um golpe de espada e saiu usando o fio de lã que havia marcado todo o caminho percorrido.


Deuses gregos


De acordo com o gregos, os deuses habitavam o topo do monte Olimpo, principal montanha da Grécia Antiga. Deste local, comandavam o trabalho e as relações sociais e políticas dos seres humanos. Os deuses gregos eram imortais, porém possuíam características de seres humanos. Ciúmes, inveja, traição e violência também eram características encontradas no Olimpo. Muitas vezes, apaixonavam-se por mortais e acabavam tendo filhos com estes. Desta união entre deuses e mortais surgiam os heróis.


Conheça os principais deuses gregos :


Zeus - deus de todos os deuses, senhor do Céu.

Afrodite - deusa do amor e da beleza.

Poseidon - deus dos mares

Hades - deus dos mortos, dos cemitérios e do subterrâneo.

Hera - deusa dos casamentos e da maternidade.

Apolo - deus da luz e das obras de artes.

Artemis - deusa da caça.
Ares - divindade da guerra.

Atena - deusa da sabedoria e da serenidade. Protetora da cidade de Atenas

Hermes - divindade que representava o comércio e as comunicações

Hefestos - divindade do fogo e do trabalho.

Charges







sexta-feira, 14 de novembro de 2008

POR QUE É BOM GOSTAR DE LER
O brasileiro lê cerca de dois livros por ano. Na Inglaterra, a média chega a cinco livros anuais.
O único patrimônio que ninguém tira de você é o conhecimento.
Ler é divertido e fundamental para a formação pessoal.
Presenteie seus amigos e familiares com um bom livro e BOA LEITURA.
PASSOS PARA ESTIMULAR A LEITURA
v Leia para dar o exemplo;
v Crie grupos de leitura;
v Visite bibliotecas ou livrarias;
v De livros para as crianças manusearem;
v Empreste livros;
v Leia, leia, leia mais!
Prof. Edson Farias

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

O Capitalismo pede "desculpas"

Texto de Frei Beto ironizando a crise capitalista:

"Estou gravemente enfermo. Gostaria de manifestar publicamente minhas escusas
a todos que confiaram cegamente em mim. Acreditaram em meu suposto poder de multiplicar fortunas. Depositaram em minhas mãos o fruto de anos de trabalho, de economias familiares, o capital de seus empreendimentos.

Peço desculpas a quem assiste às suas economias evaporarem pelas chaminés
virtuais das Bolsas de Valores, bem como àqueles que se encontram asfixiados pela inadimplência, os juros altos, a escassez de crédito, a proximidade da recessão.

Sei que nas últimas décadas extrapolei meus próprios limites. Arvorei-me em
rei Midas, criei em torno de mim uma legião de devotos, como se eu tivesse
poderes divinos. Meus apóstolos - os economistas neoliberais - saíram pelo
mundo a apregoar que a saúde financeira dos países estaria tanto melhor
quanto mais eles se ajoelhassem a meus pés.

Fiz governos e opinião pública acreditarem que o meu êxito seria
proporcional à minha liberdade. Desatei-me das amarras da produção e do
Estado, das leis e da moralidade. Reduzi todos os valores ao cassino global
das Bolsas, transformei o crédito em produto de consumo, convenci parcela
significativa da humanidade de que eu seria capaz de operar o milagre de
fazer brotar dinheiro do próprio dinheiro, sem o lastro de bens e serviços.

Abracei a fé de que, frente às turbulências, eu seria capaz de me
auto-regular, como ocorria à natureza antes de ter seu equilíbrio afetado
pela ação predatória da chamada civilização.

Tornei-me onipotente, supus-me
onisciente, impus-me ao planeta como onipresente. Globalizei-me.

Passei a jamais fechar os olhos. Se a Bolsa de Tóquio silenciava à noite, lá
estava eu eufórico na de São Paulo; se a de Nova York encerrava em baixa, eu
me recompensava com a alta de Londres. Meu pregão em Wall Street fez de sua
abertura uma liturgia televisionada para todo o orbe terrestre.

Transformei- me na cornucópia de cuja boca muitos acreditavam que haveria
sempre de jorrar riqueza fácil, imediata, abundante.

Peço desculpas por ter enganado a tantos em tão pouco tempo; em especial aos
economistas que muito se esforçaram para tentar imunizar-me das influências
do Estado.

Sei que, agora, suas teorias derretem como suas ações, e o estado
de depressão em que vivem se compara ao dos bancos e das grandes empresas.

Peço desculpas por induzir multidões a acolher, como santificadas, as
palavras de meu sumo pontífice Alan Greenspan, que ocupou a sé financeira
durante dezenove anos.

Admito ter ele incorrido no pecado mortal de manter
os juros baixos, inferiores ao índice da inflação, por longo período.

Assim, estimulou milhões de americanos à busca de realizarem o sonho da casa própria.

Obtiveram créditos, compraram imóveis e, devido ao aumento da
demanda, elevei os preços e pressionei a inflação.

Para contê-la, o governo subiu os juros... e a inadimplência se multiplicou como uma peste, minando a suposta solidez do sistema bancário.

Sofri um colapso. Os paradigmas que me sustentavam foram engolidos pela
imprevisibilidade do buraco negro da falta de crédito. A fonte secou. Com as
sandálias da humildade nos pés, rogo ao Estado que me proteja de uma morte
vergonhosa.

Não posso suportar a idéia de que eu, e não uma revolução de
esquerda, sou o único responsável pela progressiva estatização do sistema
financeiro. Não posso imaginar-me tutelado pelos governos, como nos países
socialistas.

Logo agora que os Bancos Centrais, uma instituição pública,
ganhavam autonomia em relação aos governos que os criaram e tomavam assento
na ceia de meus cardeais, o que vejo?

Desmorona toda a cantilena de que fora de mim não há salvação.

Peço desculpas antecipadas pela quebradeira que se desencadeará neste mundo
globalizado. Adeus ao crédito consignado! Os juros subirão na proporção da
insegurança generalizada.

Fechadas as torneiras do crédito, o consumidor se armará de cautelas e as empresas padecerão a sede de capital; obrigadas a
reduzir a produção, farão o mesmo com o número de trabalhadores.

Países exportadores, como o Brasil, verão menos clientes do outro lado do balcão;
portanto, trarão menos dinheiro para dentro de seu caixa e precisarão
repensar suas políticas econômicas.

Peço desculpas aos contribuintes dos países ricos que vêem seus impostos
servirem de bóia de salvamento de bancos e financeiras, fortuna que deveria
ser aplicada em direitos sociais, preservação ambiental e cultura.

Eu, o mercado, peço desculpas por haver cometido tantos pecados e, agora,
transferir a vocês o ônus da penitência.

Sei que sou cínico, perverso,
ganancioso. Só me resta suplicar para que o Estado tenha piedade de mim.

Não ouso pedir perdão a Deus, cujo lugar almejei ocupar.

Suponho que, a esta hora, Ele me olha lá de cima com aquele mesmo sorriso irônico com que
presenciou a derrocada da torre de Babel".

Frei Beto

Poster de: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

Aviso aos Alunos da Escola Florentina

Pré-Matrícula na E.E.E.M Profª Florentina Damasceno

Nível: Ensino Médio

v Para alunos Portadores de Necessidades Educativas Especiais – Alunos Novos.

Até 23/11/08

v Pré-Matrícula -Alunos Novos:

Período de 01 a 05/12/2008


v Confirmação de Matrícula para Alunos Novos:

Período de 12 a 17/01/2009


v Confirmação de Matrícula Alunos da Rede – E.E.E.M.P Florentina Damasceno.


Período de 19 a 23/01/2009.

Charges





Cultura, valorize-a!


Escultura - Artista: Mueck
Agora é só ler o texto!
Arte: aquilo que temos de fundamental.

O ser humano procura veementemente exprimir beleza do mundo a sua volta, na busca de lograr de certa maneira o prazer estético, quando admira um pôr do sol, uma noite enluarada, as belezas da natureza entre outras coisas. E é justamente esta capacidade de ver o essencial da vida que o diferencia dos outros animais, tornando-o capaz de criar, transpor pro papel, paredes, madeira, mármore, bronze, gesso, e entre outros. Sua idéia a cerca da vida, do homem / mulher, do amor, sexo, prazer, luxo e demais sensações que possam lhe provier. Todas as nuances citadas são essenciais ao ser humano e estão indissociáveis da arte, visto que ela é a expressão de formas e conteúdos perceptíveis do sentimento humano. Através dela podemos compreender o passado de maneira mais visual, sonora, corporal e musical, nos embebendo de um misto prazer cultural, na medida em que passamos a entender o passado e o presente dos nossos ancestrais; pelas suas construções arquitetônicas, sua produção plástica, sua música regional e sua maneira de produzir cultura. Amiúde a obra de arte, nos deixa imbuídos dos costumes, crenças, inquietações, decadência moral e econômica advindas até nós passadas de geração a geração.

Nesta perspectiva, a capacidade apreciativa é inerente ao ser humano independentemente da classe social, do nível de escolaridade, da etnia, da cultura da qual faz parte. Visto que, a dificuldade sentida quando temos que escolher um presente para alguém especial, quando temos que comprar uma roupa para uma ocasião fundamental, dentre outros exemplos, denota o gosto por aquilo que julgamos belo, atraente aos olhos e, isso é prazer estético. Todavia, esses atos ficam restritos ao espectador que não imortaliza seu conhecimento, gosto e criatividade em obras de arte. E o que seria uma obra de arte? Para ser considerada arte a produção estética deve estar inserida numa das linguagens da arte; que são: a dança (com suas múltiplas formas corporais), o teatro (através da capacidade interpretativa), a música (com seus ritmos, sons, melodias, harmonia, textura musical e etc.), as artes visuais (pintura, arquitetura, escultura, desenho, fotografia, grafismo, caricatura, xilogravura, artesanato, televisão, cinema, entre outras). Todas as manifestações esboçadas são consideradas arte, por trabalhar com a beleza, o encantamento, a criatividade, a imaginação, o conhecimento, a emoção dentre outros adjetivos.

Língua

(Caetano Veloso)

Gosto de sentir a minha língua roçar
A língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar
A criar confusões de prosódias
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior
E deixa os portugais morrerem à míngua
"Minha pátria é minha língua"
Fala mangueira!
Fala!Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que pode
Esta língua?
Vamos atentar para a sintaxe dos paulistas
E o falso inglês relax dos surfistas
Sejamos imperialistas
Vamos na velô da dicção choo choo de
Carmen Miranda
E que o Chico Buarque de Holanda nos resgate
E - xeque-mate - explique-nos Luanda
Ouçamos com atenção os deles e os delas da
TV Globo
Sejamos o lobo do lobo do homen
Adoro nomes
Nomes em Ã
De coisas como Rã e Imã
Nomes de nomes
Como Scarlet Moon Chevalier
Glauco Matoso e Arrigo Barnabé e Maria da
Fé e Arrigo Barnabé
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que podeEsta língua?
Incrível
É melhor fazer um canção
Está provado que só é possível
Filosofar em alemão
Se você tem uma idéia incrível
É melhor fazer um canção
Está provado que só é possível
Filosofar em alemão
Blitz quer dizer corísco
Hollyood quer dizer Azevedo
E o Recôncavo, e o Recôncavo, e o
Recôncavo
Meu medo!
A língua é minha pátria
E eu não tenho pátria: tenho mátria
E quero frátria
Poesia concreta e prosa caótica
Ótica futura
Samba -rap, chic-left com banana
Será que ela está no Pão de Açúcar?
Tá craude brô você e tu lhe amo
Qué queu te faço, nego?
Bote ligeiro
Nós canto-falamos como que inveja negros
Que sofrem horrores no gueto do Harlem
Livros, discos, vídeos à mancheia
E deixe que digam, que pensem e que falem

Poster de: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

Arte

"Auto-retrato" - Salvador Dali
“Paris vista de Montmartre” - Maximilien Luce

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

3º Desafio


2º Desafio do blog - Ainda está fácil vai piorar.


Quantos animais você vê?

Despedida de um Gênio - Gabriel Garcia Marquez

Despede-se um gênio!!!!!

Gabriel Garcia Márquez se retirou da vida pública por razões de saúde: câncer linfático. Agora, parece, que está cada vez mais grave. Enviou carta de despedida a seus amigos e graças a internet está sendo difundida. Recomendo sua leitura porque é verdadeiramente comovente este curto texto escrito por um dos latino americanos mais brilhantes do mundo nos últimos tempos.

"Se por um instante Deus esquecesse que sou uma marionete de pano
e me presenteasse com um pedaço de vida, possivelmente não diria tudo o que
penso, mas em definitivo pensaria em tudo o que digo.


Daria valor as coisas, não pelo que valem, mas sim pelo que significam.
Dormiria pouco, sonharia mais. Entendo que por cada minuto que
fechamos os olhos, perdemos sessenta segundos de luz.


Andaria enquanto os demais se detém, despertaria enquanto os demais
dormem.
Escutaria enquanto os demais falam, e como desfrutaria de um bom
sorvete de chocolate!


Se Deus me favorecesse com um pedaço de vida, me vestiria simples, me atiraria de bruços ao sol, deixando descoberto, não só meu corpo, mas
também minha alma.


Deus meu, se eu tivesse um coração, escreveria meu ódio sobre o
gelo, e esperaria que saísse o sol.


Pintaria com um sonho de Van Gogh sobre estrelas um poema de
Benedetti, e uma canção de Serrat seria a serenata que ofereceria à lua.
Regaria com minhas lágrimas as rosas, para sentir a dor de seus
espinhos, e o vermelho beijo de suas pétalas...


Deus meu, se eu tivesse um pedaço de vida... Não deixaria passar um
só dia sem dizer as pessoas que eu amo, que as amo.

Convenceria a cada mulher ou homem que são meus favoritos e viveria
apaixonado de amor.


Aos homens provaria quanto equivocados estão ao pensar que deixam de
se apaixonar quando envelhecem, sem saber que envelhecem quando deixam de
se apaixonar!


A um menino daria asas, mas deixaria que ele sozinho aprendesse a
voar.


Aos velhos ensinaria que a morte não chega com a velhice, mas sim
com o esquecimento.


Tantas coisas aprendi com vocês, os homens... Aprendi que todo mundo
quer viver em cima da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está
na forma de subir a escalada.


Aprendi que quando um recém-nascido aperta com seu pequeno punho,
pela primeira vez, o dedo de seu pai, o tem agarrado para sempre.
Aprendi que um homem só tem direito a olhar o outro até em baixo,
quando há de ajudá-lo a levantar-se.


São tantas as coisas que pude aprender com vocês, mas realmente de
muito não haverão de servir, porque quando me guardarem dentro dessa
maleta, infelizmente estarei morrendo.


Sempre diz que o que sentes e faz o que pensas.
Se soubesse que hoje fosse a última vez que vou te ver dormir, te
abraçaria fortemente e rezaria ao Senhor para poder ser o guardião de tua
alma.


Se soubesse que esta fosse a última vez que te vejo sair pela porta,
te daria um abraço, um beijo e te chamaria de novo para dar-te mais.


Se soubesse que esta fosse a última vez que ouviria tua voz, gravaria cada uma de tuas palavras para poder ouví-las uma e outra vez indefinidamente.


Se soubesse que estes são os últimos minutos que te vejo diria "te
amo" e não assumiria, tontamente, que já sabes.


Sempre há um amanhã e a vida nos dá outra oportunidade para fazer
as coisas bem, mas se me equivoco e hoje é tudo o que nos resta, gostaria
de dizer o quanto te amo, que nuca te esquecerei.


O amanhã não está garantido a ninguém, jovem ou velho.
Hoje pode ser a última vez que vejas os que amas.
Por isso, não esperes mais, faz hoje, já que se o amanhã nunca
chega, seguramente lamentarás o dia que não tivestes tempo para um
sorriso, um abraço, um beijo e que estiveste muito ocupado para
conceder-lhes um último desejo.


Mantém os que amas perto de ti, diz-lhes ao ouvido o muito que
necessitas deles, ama-os e trata-os bem, encontra tempo para dizer-lhes
"sinto muito", "perdoa-me", "por favor", "obrigado" e todas as palavras de
amor que conheces.


Ninguém te recordará por teus pensamentos secretos.
Pede ao Senhor a força e sabedoria para expressá-los.
Demonstra a teus amigos quanto são importantes para ti
."

Gabriel Garcia Márquez

Poster de: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

terça-feira, 11 de novembro de 2008

A importância da avaliação contínua.
O aluno passa por um processo de avaliação constante durante o período escolar. Atualmente ainda existem educadores que consideram o momento da avaliação somente ao aplicar as tão antigas “provas”. O educador que está sempre em busca do crescimento profissional, sabe que na realidade é tudo bem diferente.
Você enquanto educador, já parou para pensar o que engloba a avaliação e o porquê de se avaliar um aluno? Pois bem. Eis a questão a se refletir, educadores!
Em uma concepção pedagógica mais moderna, a educação é concebida como experiência de vivências múltiplas, agregando o desenvolvimento total do educando. A avaliação do processo de ensino e aprendizagem é contínua, cumulativa e sistemática na escola, com o objetivo de diagnosticar a situação de aprendizagem de cada aluno, em relação à programação curricular.
A avaliação não deve priorizar apenas o resultado ou o processo, mas a prática de investigação, mas deve também, questionar a relação ensino-aprendizagem e buscar identificar os conhecimentos construídos e as dificuldades de uma forma dialógica. Os erros são tidos como pistas que demonstram como o aluno está relacionando os conhecimentos que já possui com os novos conhecimentos que estão sendo adquiridos, admitindo uma melhor compreensão destes.
Ao avaliar um aluno, é possível verificar o que os alunos conhecem sobre um determinado conteúdo, orientando o professor de forma que possa planejar as atividades de acordo com as dificuldades dos alunos. Tal procedimento favorece o avanço de cada um deles durante o ano letivo.
A avaliação inicial é fundamental em qualquer disciplina e o ideal é que o professor coloque o aluno em contato direto com o conteúdo a ser ensinado, proporcionando a ele mobilizar e utilizar seus conhecimentos. É papel também do professor, conhecer seus alunos evitando que venha ensinar o que elas já sabem ou até mesmo ensinar o que não são capazes de entender. Ou seja, é uma questão complexa que deve ser tratada com bastante cautela.
Considera-se que uma das melhores maneiras de se avaliar um aluno inicialmente, é propondo a ele uma situação – problema, no qual ele irá vivenciar o momento e buscar uma forma de resolver dentro dos limites de seus conhecimentos. É fundamental que o educador tenha domínio da heterogeneidade de conhecimentos existentes em sua turma, pois através desta referência, poderá elaborar estratégias de ensino, bem como poder acompanhar a evolução coletiva e individual de suas turmas.
Por Elen Campos CaiadoGraduada em Fonoaudiologia e PedagogiaEquipe Brasil Escola

Homenagem a Cidade de Santa Luzia do Pará


Bela Morena

Bela Morena tu já vem chegando
Já estou gostando de te ver assim
O povo na praça está te esperando
Que é pra mudar essa vida tão ruim

Morena bela tu já vem chegando
Já estou gostando de te ver assim
O povo na praça está te esperando
Que é pra mudar essa vida tão ruim

Com um sorriso de quem já sofreu
No teu olhar vejo alegria
Esquece agora quem te fez chorar
Um novo tempo de esperança vai chegar, ô ô ô

Mas que gesto bonito, ô ô ô
Que teu povo faz
Santa Luzia tu merece amor
Santa Luzia tu merece paz (2X)
Para matar a saudade de Santa Luzia do Pará. Aos que estão distante de nós fisicamente mas próximos no coração.


1º Desafio do Blog

PRESTE MUITA ATENÇÃO!

Se você conseguir ler as primeiras palavras o cérebro decifrará automaticamente as outras:

Vamos ver se consegues Ler este desafio:

3M UM D14 D3 V3R4O, 3574V4 N4 PR414, O853RV4NDO DU45 CR14NC45 8R1NC4NDO N4 4R314. 3L45 7R484LHV4M MU17O CON57U1NDO UM C45T3LO D3 4R314, COM 7ORR35, P4554R3L45 3 P4554G3N5 1N73RN45. QU4NDO 3574V4M QU4S3 4C484NDO, V310 UM4 0ND4 3 D357RU1U 7UD0, R3DU21NDO O C4573LO 4 UM MON73 D3 4R314 3 35PUM4 ...


4CH31 QU3, D3PO15 D3 74N70 35FORÇO 3 CU1D4D0, 45 CR14NÇ45 C41R14M N0 CH0R0, C0RR3R4M P3L4 PR414 D3 M405 D4D45, FUG1ND0 D4 4GU4, R1ND0 D3 M405 D4D45 3 COM3Ç4R4M 4 C0N57RU1R 0U7R0 C4573L0. COMPR33ND1 QU3 H4V14 4PR3ND1D0 UM4 GR4ND3 L1Ç40; G4ST4M05 MU170 73MP0 D4 N0554 V1D4 CON57RU1ND0 4LGUM4 CO154 3 M415 C3D0 0U M415 74RD3, UM4 OND4 POD3R4 V1R 3 D357RU1R 7UD0 0 QU3 L3V4M05 74N70 T3MP0 P4R4 CON57RU1R, M45 QU4ND0 1550 4C0N73C3R 50M3N7E 4QU3L35 QU3 73M 45 M405 D3 4LGU3M P4R4 53GUR4R, S3R4 C4P42 D3 50RR1R!!

50 0 QU3 P3RM4N3C3 3 4 4M1Z4D3, 0 4M0R 3 C4R1NH0, O R3570 3 F3170 D3 4R314.

Uma carta - Jean Honoré Fragonard

Artes Plásticas: Julian



Espaços Pedagógicos da E.E.E.M Profª Florentina Damasceno

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA:
Reflexão sobre a questão das Tecnologias da Informação e da Comunicação na Educação e Socialização de Conhecimentos em Informática através de trabalhos interdisciplinares dentro das áreas do conhecimento do Ensino Médio:
1- Linguagens Códigos e suas Tecnologias;
2- Ciências da natureza e suas Tecnologias
3- Ciências Humanas e suas Tecnologias.

SALA DE LEITURA:

Reflexão sobre as questões referentes à leitura, interpretação e análise textual, contextualização, intertextualidade e semiótica; visando ampliar o universo vocabular, lingüístico e a produção textual vinculado a reflexão crítica da realidade que o circunda, bem como trabalhar o repertório dos alunos relacionado com o ensino da beleza através de trabalhos interdisciplinares dentro das áreas do conhecimento do Ensino Médio:
1- Linguagens Códigos e suas Tecnologias;
2- Ciências da natureza e suas Tecnologias
3- Ciências Humanas e suas Tecnologias.

SALA DE MULTIMÍDIA:

Espaço pedagógico destinado as artes áudio visuais: cinema, designer, animações, documentários, etc. bem como; aula de corporeidade, música, cinema na escola e demais trabalhos relacionados ao uso da multimídia através de atividades interdisciplinares dentro das áreas do conhecimento do Ensino Médio:
1- Linguagens Códigos e suas Tecnologias;
2- Ciências da natureza e suas Tecnologias
3- Ciências Humanas e suas Tecnologias;

ESPAÇO PEDAGÓGICO DE TRANSPOSIÇÃO CORPORAL: Quadra Coberta

Área da quadra-poliesportiva e quadra de areia destinadas as atividades desportivas e culturais, tem por meta integrar os envolvidos no fazer pedagógico no conhecimento do corpo, entendendo que o corpo fala e possui uma transposição poética da realidade que contribui significativamente na integração corpo-movimento-reflexão-ação através de trabalhos interdisciplinares dentro das áreas do conhecimento do Ensino Médio, tais como projetos extracurriculares e com complementação de carga horária exemplo: esportes escola e atividades corporais.
1- Linguagens Códigos e suas Tecnologias;
2- Ciências da natureza e suas Tecnologias
3- Ciências Humanas e suas Tecnologias.

RÁDIO ESCOLAR - FLOR DO SABER

comentários no texto abaixo projestos premiados da escola.

Texto para reflexão

"O pior cego é o que não quer ver" ou melhor "vive dormindo, veja o que é acordar".

Você sabe o que significa a palavra “acordar”?

Vamos fazer uma brincadeira e separar em sílabas a palavra acordar:
A-cor-dar.
Viu?
Significa dar a cor,
colocar o coração em tudo que você faz.
Existem pessoas que acordam às 6:00h da tarde.
É isso mesmo!
Pela manhã caem da cama, são jogadas da cama, mas passam o dia todo dormindo.
Eu tive um amigo que acordou aos 54 anos de idade.Ele me disse: Descobri que estou na profissão errada!E ele já estava se aposentando...
Imagine o trauma que esse amigo criou para si, para os colegas de trabalho, para a sua família!
Foi infeliz durante toda a sua vida profissional porque simplesmente não “acordou”.
Eu, na época, era muito jovem, mas compreendi bem o que ele estava me ensinando naquele momento.
Por mais cinzento que possa estar sendo o dia de hoje, ele tem exatamente a cor que dou a ele. Sabe por quê?


Porque a vida tem a cor que “a gente pinta”.

O engraçado é que os dias são todos exclusivos.Cada dia é um novo dia, ninguém o viveu.Ele está ali, esperando que eu e você façamos com que ele seja o melhor da nossa vida.
Os meus dias são os mais lindos da face da terra porque eu os faço os mais lindos da face da terra.
O universo é o limite.
Dê a você a oportunidade de “a-cor-dar” todos os dias e compartilhar com os outros o que Deus nos dá de melhor:
O privilégio de fazer os outros felizes!

Projeto desenvolvido na Esc. Florentina Damasceno

Rádio Escolar

Título: RÁDIO FLOR DO SABER.
Área de Conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e
Ciência Humanas e suas Tecnologias.
Disciplinas Envolvidas: Língua Portuguesa, Literatura, Artes, Filosofia e Sociologia.

Na sociedade contemporânea assiste-se ao cultivo de atividades alienantes que não estimulam a criatividade e a autonomia do jovem no exercício da cidadania promovendo assim, uma sociedade deficiente. Mediante esta inquietação e pela vivência em sala de aula das dificuldades de leitura, escrita e interpretação de mundo apresentadas pelos alunos da Escola Florentina Damasceno buscam-se práticas e metodologias alternativas que minimizem e transformem, através da oferta de espaço que incentive, socialize e divulgue a criatividade e os talentos da comunidade escolar, a atual realidade social que limita o desenvolvimento do pensamento crítico e autônomo.

A comunicação hoje constitui uma demanda social que precisa mais do que nunca ser ressignificada, onde a escola passa a ter papel fundamental na transposição social, garantindo a sustentabilidade e autonomia cidadã da comunicação.

Nesse contexto, o projeto “Rádio Flor do Saber”, tem o intuito de trabalhar o currículo escolar, elaborando programas que abranjam temáticas do cotidiano como: problemas sociais, políticas públicas, questões ambientais e outros; dando suporte à política de inclusão e valorização da comunicação na rede pública de Santa Luzia do Pará, onde professores e alunos terão autonomia para elaborar de acordo com o currículo formal, real e oculto seus programas coordenados pelo corpo técnico pedagógico e administrativo da escola.

O mais significativo deste projeto é a possibilidade de se trabalhar de maneira interdisciplinar, mexendo com a criatividade, criticidade e imaginação dos envolvidos no cotidiano da escola, dando um novo olhar para o processo ensino aprendizagem, por dar à oportunidade de extrapolar a sala de aula, a disciplinaridade, a teoria descontextualizada estabelecendo um feedback da práxis escolar.

OBJETIVO:

Promover o intercâmbio cultural da comunidade escolar valorizando as produções artísticas, fortalecendo a cidadania e o respeito à diversidade, garantindo através da comunicação, o uso de Linguagens e suas tecnologias do mundo globalizado dentro de uma cultura crítica e cidadã.

ATIVIDADES:

A Rádio Flor do Saber funcionará de segunda a sexta, nos turnos da manhã, tarde e noite em horários alternativos, isto é, início do horário letivo de cada turno, recreio e no horário integral nos dias em que a escola estiver trabalhando com as atividades extra classe exemplo: feira de Ciências, Jogos internos , Feira de Meio Ambiente etc.

PROGRAMAÇÃO:

· A poesia entre nós - (15 minutos);
· Esporte: exemplo de vida - (10 minutos);
· Parada Musical - (10 minutos);
· Hora dos Recados - (15 minutos);
· Você é o que você pensa e o que você come - (10 minutos);
· Espaço Comunidade - (30 minutos);
· Viva sem drogas - (10 minutos);
· Fala Professor!!! - (15 minutos).

Por: Profª. Rórima Diana - rorimadianaesteves@gmail.com

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Lançamento oficial do blog da escola Florentina Damasceno

Será no dia 27 de novembro por ocasião da "VII Feira de Ciências".

O blog da escola Florentina Damansceno é um canal de comunicação com a comunidade local, na qual está inserida, visando a integração de todos no processo educativo e a difusão de conteúdos produzidos pela escola.

A perspectiva é que o blog da escola Florentina Damasceno seja o maior portal luziense de conhecimentos e informações.

Autor: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

Pense nisso...

Obs.: Dê um click na figura para visualizar melhor.

Postado por: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

É assim que você quer ver nosso planeta?


Ondas de calor inéditas. Furacões avassaladores. Secas intermináveis onde antes havia água em abundância. Enchentes devastadoras. Extinção de milhares de espécies de animais e plantas. Incêndios florestais. Derretimento dos pólos. E toda a sorte de desastres naturais que fogem ao controle humano.

Há décadas, pesquisadores alertavam que o planeta sentiria no futuro o impacto do descuido do homem com o ambiente. Na virada do milênio, os avisos já não eram mais necessários – as catástrofes causadas pelo aquecimento global se tornaram realidades presentes em todos os continentes do mundo. O desafios passaram a ser dois: se adaptar à iminência de novos e mais dramáticos desastres naturais; e buscar soluções para amenizar o impacto do fenômeno.

Em tempos de aquecimento planetário, uma nova entidade internacional tomou as páginas de jornais e revistas de toda a Terra – o Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC), criado pela ONU para buscar consenso internacional sobre o assunto. Seus aguardados relatórios ganharam destaque por trazer as principais causas do problema, e apontar para possíveis caminhos que podem reverter alguns pontos do quadro.

Em 2007, o painel escreveu e divulgou três textos. No primeiro, de fevereiro, o IPCC responsabilizou a atividade humana pelo aquecimento global – algo que sempre se soube, mas nunca tinha sido confirmado por uma organização deste porte. Advertiu também que, mantido o crescimento atual dos níveis de poluição da atmosfera, a temperatura média do planeta subirá 4 graus até o fim do século. O relatório seguinte, apresentado em abril, tratou do potencial catastrófico do fenômeno e concluiu que ele poderá provocar extinções em massa, elevação dos oceanos e devastação em áreas costeiras.

A surpresa veio no terceiro documento da ONU, divulgado em maio. Em linhas gerais, ele diz o seguinte: se o homem causou o problema, pode também resolvê-lo. E por um preço relativamente modesto – pouco mais de 0,12% do produto interno bruto mundial por ano até 2030. Embora contestado por ambientalistas e ONGs verdes, o número merece atenção.

O 0,12% do PIB mundial seria gasto tanto pelos governos, para financiar o desenvolvimento de tecnologias limpas, como pelos consumidores, que precisariam mudar alguns de seus hábitos. O objetivo final? Reduzir as emissões de gases do efeito estufa, que impede a dissipação do calor e esquenta a atmosfera.

O aquecimento global não será contido apenas com a publicação dos relatórios do IPCC. Nem com sua conclusão de que não sai tão caro reduzir as emissões de gases. Apesar de serem bons pontos de partida para balizar as ações, os documentos não têm o poder de obrigar uma ou outra nação a tomar providências. Para a obtenção de resultados significativos, o esforço de redução da poluição precisa ser global. O fracasso do Tratado de Kioto, ao qual os Estados Unidos, os maiores emissores de CO2 do mundo, não aderiram, ilustra os problemas colocados diante das tentativas de conter o aquecimento global.
FONTE: Revista Veja
Postado por: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

Um pouco de Arte

Pintura nas mãos, artes plásticas de qualidade que desenha de forma efêmera o belo. Delicie-se com esta linda imagem.

Autora: Profª. Rórima Diana - rorimadianaesteves@gmail.com

Mensagem Especial aos Alunos da Escola Florentina


Autora: Profª. Rórima Diana - rorimadianaesteves@gmail.com

Uma contribuição ao Educador do Século XXI

A Semiótica na Educação.

Construir uma práxis pedagógica cimentada numa visão holística de homem/sociedade é a tarefa precípua do educador do século XXI, visto que este século é tido como: a era do conhecimento.
Por sua vez conhecer não é apenas entender a realidade circundante por um ângulo, mas sim, compreender é desvelar todas as nuancem emersas nas múltiplas linguagens que compõem o mundo a nossa volta, isto é, ler a realidade numa perspectiva freiriana, haja vista o mesmo ter construído uma vasta literatura sobre a leitura de mundo, a autonomia, conscientização e a práxis pedagógica, por entender que o educador não pode continuar fazendo suas aulas disciplinarmente, isto é, aula de história pela história, geografia pela geografia e etc.
O trabalho educacional tem que estar voltado para o fazer interdisciplinar, para isso se faz necessário conhecer os conceitos básicos concernentes a implantação de uma prática interdisciplinar:
1º os conceitos de ação e interação com objetos do conhecimento (significa ler a realidade de maneira total sem dividi-la em disciplinas estanques, trabalhando o conteúdo de maneira integrada);
2º a interação social entre os sujeitos (trabalhar numa perspectiva interdisciplinar requer união entre os protagonistas do projeto, visto que todos devem estar integrados)
3º os conceitos de pluralidade das inteligências ou inteligências múltiplas (entender que a escola não pode e não deve priorizar uma determinada inteligência em detrimento de outra, como vem sendo feito ao longo da história da educação com as inteligências: lingüística e lógico matemática que forma a base de interesse dos educadores, desmerecendo as linguagens artísticas e outras).
Por conseguinte se o educador construir sua prática educativa imbuído nestes pressupostos, ele estará ajudando seus alunos a ver o mundo de maneira dialética.

Tomemos como exemplo o diagrama:

Evolução Simbólica do Homem

HOMEM PRIMITIVO - Invenção da Escrita - HOMEM RACIONAL - Sincresia de Linguagens - HOMEM SEMIÓTICO

O diagrama proposto demonstra como o homem vem abstraindo a realidade bio-psico-social ao longo da história, desenhando de forma clara e precisa que na atualidade o ser humano esta embebido num turbilhão de linguagens, por conta disso é conhecido por homem semiótico. Assim sendo, para exemplificar estas colocações, observe a imagem abaixo:

AUTOR: Salvador Dali
ESTÉTICA:
Surrealista


Ler esta imagem não é apenas descrever os elementos que a compõe, mas sim, entender o contexto histórico no qual ela foi elaborada, as idéias que influenciaram o artista, os elementos estéticos presente na obra de arte e o estilo estilístico que o pintor quer ressaltar ao fazer este quadro, isto é, compreender o dito, o não dito e o interdito.

Por conseguinte, se não conheço o autor: Salvador Dali, se não compreendo a estética surrealista e principalmente se não conheço a psicanálise de Freud (grande influenciador do surrealismo) como posso fazer uma analise semiótica da imagem, como entenderei os signos presentes e o que eles querem dizer inseridos neste contexto. Portanto, neste texto estão elencados vários exemplos que retratam a necessidade urgente dos educadores do século XXI fazerem suas aulas através da práxis pedagógica.

A partir das premissas supracitadas posso afirmar com segurança que a Semiótica contribui significativamente para a minha práxis pedagógica, na medida em que debato, analiso e construo um novo olhar sobre a realidade circundante, dando subsídios concretos; Tais como: aula expositiva dialogada, textos científicos, debates e construção de material teórico prático sobre as várias linguagens da arte, bem com: artes visuais – arquitetura, escultura, pintura e etc; Teatro, Performace, Cinema e Arte Virtual; mediante apresentação de seminário e debate das temáticas trabalhadas.

Além de lograr subsídios teóricos que foram abstraídos e servirão como o grande fruidor do meu fazer educativo e da minha vida formativa, uma vez que a Semiótica não contribuiu apenas para a professora Rórima Esteves, mas abriu um leque de possibilidades para a mulher-filha-esposa.

Postado por: Profª. Rórima Diana - rorimadianaesteves@gmail.com

Texto Especial para Reflexão de Alunos e Professores.

Texto de
William Shakespeare

"Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes, não são promessas.

E comeca a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quao boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa - por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a ultima vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.

Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados .Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"

Postagem de: Profª. Rórima Diana - rorimadianaesteves@gmail.com

domingo, 9 de novembro de 2008

SEDUC

A blogosfera paraense desde semana passada está noticiando que haverá troca de comando na SEDUC.

Segundo informações, sai Iracy Gallo e entra Prof°. Alfredo Costa, um dos sócios do colégio Universo e vereador eleito da capital.

Veja reportagem completa no blog Santa Luzia On-line.

Autor: Prof°. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

O ato de escrever

Escrever não é só associar palavras, grafá-las corretamente ou usá-las de maneira aleatória, é desenvolver pensamentos.

A imaginação corre solta antes de passar para o papel. As ideias precisam ser organizadas e o conhecimento prévio sobre o assunto é necessário, por isso a leitura assídua é fundamental. A palavra de ordem para quem escreve é paciência, para estimular o cérebro a pensar e a seguir criteriosamente a gramática.

O pintor reflete seus sentimentos nos quadros, usando como matéria-prima as tintas, já o escritor reflete seus sentimentos nos livros e a matéria-prima é a palavra. O trabalho, a vontade e o dom se unem para possibilitar a boa escrita.

A arte de sentar-se na cadeira e produzir uma grande obra precisa ser reconhecida. Afinal, é um dos atos mais importantes para a sociedade que se expressa nos textos e para a construção da história mundial.

Eu amo escrever, seja lá o que for, o que vier na minha cabeça! Posso não seguir as mil regras, posso não ter um texto fascinante, mas me sacia o simples fato de preencher com palavras uma folha em branco.

Autor: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Professores da escola Florentina Damasceno

Diretora Viviane com o secretário Sérgio Leal
Os blogueiros profº. Reinaldo, sec. Sérgio, profº. Edson e a profª. Rórima
Professores: Elissandra, Nando, Luciete e Mª Luíza
Professores: Luciete, Mª Luíza, Betânia e José dos Santos
Profª. Rórima
Professores: Vera, Edson, Débora, Néia e Reinaldo
Profª. Elisalba
Professoras: Suzana, Elisalba e Elizélia com o profº da SEDUC, Valter
Professores e alunos na Semana da Pátria
Profº. Valter & Cia...
Profª. Sandra
Professoras Sandra e Elizélia
Profº. Edson Amorin
Autor: Profº. Reinaldo - jreinaldosl@gmail.com

MENSAGEM ESPECIAL


Autora: Profª. Rórima Diana - rorimadianaesteves@gmail.com

Datas comemorativas do mês de novembro

01 · Dia de Todos os Santos
02 · Dia de Finados03 · Dia do Cabeleireiro
03 · Instituição do Direito e Voto da Mulher (1930)
04 · Dia do Inventor05 · Dia da Ciência e Cultura
05 · Dia do Cinema Brasileiro
05 · Dia do Radioamador e Técnico Eletrônica
07. Dia do Radialista08 · Dia Mundial do Urbanismo
08 . Dia do Radiologista
09 · Dia do Hoteleiro
10 · Dia do Trigo
11 · Dia do Soldado Desconhecido
12 . Dia do Diretor de Escola
12 · Dia do Supermercado
14 · Dia Nacional da Alfabetização
15 · Proclamação da República

16 · Semana da Música
17 . Dia da Criatividade
19 · Dia da Bandeira
20 · Dia do Auditor Interno
20 · Dia Nacional da Consciência Negra
20 . Dia do Esteticista
20 . Dia do Biomédico
21 · Dia da Homeopatia
21 · Dia das Saudações
22 · Dia do Músico
23 · Dia Internacional do Livro
25 · Dia Nacional do Doador de Sangue
27 . Dia do Técnico da Segurança do Trabalho
28 · Dia Mundial de Ação de Graças

Autor: Raul Sérgio Leal - fmnln27@gmail.com

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A produção do espaço luziense - primeira parte

O Processo de produção do espaço correspondente ao atual município de Santa luzia do Pará (espaço luziense) está relacionado com a dinâmica de colonização, inserção e expanção do modo de produção capitalista sobre o território amazônico.

A colonização da Amazônia executada pelo estado colonial português, a partir do século XVII visava, sobretudo, garantir a soberania do vasto território banhado pelo conjunto de rios que compõem o complexo hidrográfico do Rio Amazonas, mediante a ação missionária dos jesuítas, a montagem de fortificações militares e da exploração das drogas do sertão.

O padrão de ocupação, circulação e povoamento da região amazônica se processavam ao longo dos rios e fortes da região, orientando a forma de exploração das atividades econômicas e promovendo a proliferação de inúmeras cidades, organizadas obedecendo ao modelo de urbanização dentrítica.

A importância desempenhada pelos rios Caeté, Guamá, e Gurupi, responsáveis pela ciculação e comercialização de produtos agrícolas e extrativistas, particularmente no nordeste paraense onde orientava a organização espacial e o padrão de povoamento que na época ocorria, principalmente, ao longo das cidades de Bragança, Ourém e Vizeu.

A partir do século XIX ocorre uma excepcional evolução da economia nacional, refletindo-se na forma de organização do espaço brasileiro que se processava de acordo com várias atividades econômicas desenvolvidas sobre o espaço nacional, onde se destacavam a agricultura cafeeira na região sudeste e o extrativismo da borracha da Amazônia. Entretanto é importante salientar que não havia um elo de integração econômica e espacial interligando as diversas regiões do país, mas sim verdadeiros "arquipélagos econômicos" completamente desarticulados e independentes entre si.

No final do século XIX e início do século XX, a economia da borracha atraiu para a região amazônica uma enorme quantidade de migrantes, constituída, sobretudo de nordestinos que vieram converter-se em mão-de-obra barata para a extração de látex. Como sabemos, a maioria da mão-de-obra nordestina deslocou-se para o interior dos seringais atrelando-se a uma relação de dependência e subordinação sócio-econômica que caracterizava o sistema de aviamento.

Todavia uma parte expressiva da mão-de-obra que penetrou na região pelo nordeste paraense fixou-se nesta mesorregião, tabalhando particularmente na colonização da zona bragantina, um cinturão agrícola e hortifrutigranjeiro, formado por pequenos e médios agricultores, cuja produção destinava-se ao consumo interno e ao abasteciamento da metrópole paraense.

O projeto de colonização oficial da zona bragantina era cosntituído por uma infra-estrutura de transporte idealizada para favorecer a comunicação entre os núcleos coloniais e a capital que era bastante demorada, o que podia implicar no atraso da chegada dos gêneros alimentícios à Belém. Para tanto o "o governo imperial bancou a construção da estrada de ferro de Bragança, ligada a um programa de colonização de toda a área" (Maneschy, 1995)".

Observa-se que a colonização da região bragantina diferencia-se em relação a outras no estado do Pará, devido ao poder da ação estatal. O estado dispõe de prerrogativas para alterar o destino de grupos humanos, concedendo terras a estrangeiros e nordestinos, sustentados na produção de base familiar, cuja produção era escoada por via férrea". (Conceição, 1994).

O sucesso rápido e temporário dos projetos de colonização da zona bragantina alimentou um enorme fluxo de mão-de-obra, tornando-a super povoada em razão da pequena quantidade de terras disaponíveis para a agricultura e pecuária e a concentração fundiária que se processava rapidamente, valorizando excessivamente o preço da terra alterando as condições de sustentabilidade ambiental e sócio-econômica, necessárias para fixação dos colonos na referida microrregião.

Os problemas originados pelas inadequadas formas de uso e as limitações ao acesso a terra e a própria decadência da economia da borracha, ocasionaram mudanças quantitativas e qualitativas no fluxo e no sentido das correntes migratórias.

Como se sabe o extrativismo gomífero não fora capaz de promover uma eficiente fixação do migrante nordestino que após o seu colapso, ou voltou para a terra de origem ou passou a deslocar-se com mais frequência pela região em busca de trabalho, terras e oportunidades.

A saturação da zona bragantina a transformou em uma importante área de repulsão populacional, modificando o sentido de povoamento do nordeste paraense contribuindo decisivamente para o temporário refluxo econômico e demográfico de algumas cidades, principalmente as localizadas ao longo da estrada de ferro Belém-Bragança.

O constante deslocamento intra-estadual da mão-de-obra migrante constituída, sobretudo por posseiros e colonos, priorizou a ocupação das terras devolutas próximas dos eixos de circulação existentes na época, a exemplo de rios, picos, pequenas vicinais e posteriomente nas margens da rodovia Pará-Maranhão (BR-316).

As grandes facilidades de acesso às terras devolutas e a presença de eixos de circulação fluvial necessários ao escoamento da produção agrícola, contribuíram enormemente para que nas áreas localizadas próximas as vias de contato com a zona bragantina entre os rios Peritoró, Caeté e Guamá surgissem pequenos núcleos de ocupação orientados e organizados em torno da pequena propriedade familiar e da agricultura de subsistência com mão-de-obra constituída basicamente por retirantes nordestinos que cultivavam a terra especializando-se na produção de gêneros alimentícios de primeira necessidade como feijão, mandioca, milho e malva.

Observa-se ainda que o primeiro momento de ocupação do espaço correspondente ao município da Santa Luzia do Pará é anterior ao processo de abertura da Rodovia Pará-Maranhão (BR-316) quando ainda fazia parte do município de Ourém, recebendo influência econômica direta da colonização bragantina e depois da próspera cidade de Capanema que passa a polarizar praticamente todos os núcleos de povoamento citados.

Autor: Profº. Jorge Daniel de Sousa e Silva (Jorginho) - geógrafo especialista em Educação Ambiental

A produção do espaço luziense - parte final

Anteriormente, a fixação dos posseiros e colonos ocorria, principalmente, nas margens do rio Caeté por onde era transportada a pequena produção comercializada inicialmente na vila do Tentugal que na época funcionava como uma espécie de entreposto comercial favorecido pela proximidade e navegabilidade do referido rio.

A chegada dos novos colonos e posseiros juntamente com a grande oferta de terras destinadas para o cultivo estimulou o desenvolvimento das atividades agro-pastoris empreendidas nessas áreas, proporcionando o aumento do excedente da produção e a emergência das atividades comerciais centralizadas na vila do Tentugal e, posteriormente, após a abertura da rodovia na vila de Santa Luzia, ambas pertencentes ao município de Ourém.

A dinâmica de integração econômica e espacial juntamente com a inserção da região amazônica na economia nacional, imposta pela divisão territorial do trabalho, constitui-se através da montagem de grandes eixos de circulação rodoviária, exploração extrativa e semi-industrial (grandes projetos) que provocam grandes impáctos no padrão de povoamento da região direcionando o fluxo de capitais, serviços e mão-de-obra dos rios para as margens das rodovias que foram construídas na região.

Desta forma, a abertura dos primeiros picos da Pará-Maranhão serviu de estímulo para a fixação de colonos, posseiros, peões e comerciantes que migraram em busca de melhores oportunidades e facilidades no transporte e circulação de produtos bem como o de serviços centralizados na área que atualmente corresponde a cidade de Santa Luzia do Pará.

Segundo informações e registros de trabalhos anteriores, o primeiro habitante do povoado que na época chamava-se Dr. Tabosa (homenagem ao engenheiro da obra da BR-316 no trcho de Capanema até o rio Gurupi) foi o Sr. Manoel Gaia, retirante nordestino que veio para o Pará no ano de 1956, seguindo os picos da futura BR-316 (rodovia Pará-Maranhão) em plena fase de construção.

O processo de ocupação das áreas citadas aumentou com a instalação do canteiro de obras da rodovia no início de 1958, ampliando o fluxo migratório, a grande penetração e ocupação fundiária favorecendo o desenvolvimento das atividades comerciais cuja demanda era diretamente proporcional ao cultivo de novas terras, ao aumento da produção e ao crescimento da população rural e urbana que iam se fixando, preferencialmente às margens da rodovia.

Desta forma o pequeno povoado também conhecido como Km 47 da Pará-Maranhão e posteriormente denominado Santa Luzia (homenagem à padroeira da vila), espandia-se rapidamente ao longo das margens da BR-316, abrigando um número cada vez mais crescente de famílias, na sua maioria nordestinas, beneficiadas pela oferta de terras e novas oportunidades que associadas com a conclusão da malha rodoviária, em 1972, oferecia pespectivas de futuro, garantindo um certo bem está social da população local, promovendo o alargamento da zona urbana dinamizando a economia local que, relativamente, vai se configurando na condição de importante entreposto comercial e agro-pastoril da região subordinado a uma incipiente rede urbana, compsta pelos núcleos coloniais adjacentes.

Entretanto, o rápido crescimento econômico e demográfico da vila de Santa Luzia, estimulado em grande parte pela abertura da rodovia, era muito limitado pelo município de Ourém que além de temer a concorrência econômica, perda de receitas e possível perda de território, não dispunha de recursos e vontade política capazes de montar uma infraestrutura urbana adequada e uma eficiente rede de serviços públicos necessários para promover o progresso da comunidade satisfazendo os anseios da população da referida vila.

A falta de investimentos públicos capazes de promover o dinamismo sócio-econômico, ocasionando permanente falta de serviços básicos de saúde, educação e saneamento, caracterizando o quadro de completo abandono do poder público do município de Ourém alimentou grande insatisfação na população que foi instrumentalizada pelos líderes político locais a lutar pela emancipação política de Santa Luzia como sendo a solução para os problemas mais urgentes da comunidade.

O desejo emancipatório da população alimentado pelos discursos de forte apelo popular da elite política local foram decisivos e irreversíveis para a separação do município de Ourém e imediata emancipação política da então vila de Santa Luzia que foi sacramentada com um plebiscito realizado no dia 28 de abril de 1991, criando assim o município de santa Luzia do Pará.

Autor: Profº. Jorge Daniel de Sousa e Silva (Jorginho) - geógrafo especialista em educação ambiental

O homem é do tamanho do seu sonho!


Faz frio, chove, mas é sábado e com isso todas as agruras do tempo serão perdoadas. Serão perdoadas também as indisposições e constrangimentos da semana. As decepções dormiram ontem e esqueceram de acordar hoje. Também não serão lembrados os fatos bons, uma vez que já cumpriram sua função social e, caso se repitam futuramente hão de ser novos, e novidades boas sempre são bem vindas.

Hoje é sábado e não quero roubar mais esta do Vinicius, mas é imperativo que eu mais me espreguice do que cuide das folhagens; que eu durma um pouco à tarde induzido pelo negrão chileno de sobrenome francês (acho que da família Sauvignon) que mal chega aqui em casa e já vai embora, do que invente qualquer coisa para fazer no parque, afinal está chovendo e faz frio.

Nem Hamlet, o lhasa, está a fim de sair para visitar seus postes, cheirar seus pares, bater continência com a patinha traseira até o último pingo, etc. Mas, sobretudo porque é um sábado que pretendo seja diferente dos demais. Por quê? Exatamente não sei, mas talvez porque tenha ouvido noite destas uma sinopse de história que breve me será contada por inteiro e que, tão-somente por adivinhá-la na íntegra me engasga, me tranca o ar na garganta e ameaça embaçar o vidro dos olhos. Coisa para lembrar Schopenhauer que fala de um vazio na infinitude do tempo e espaço em oposição à finitude do indivíduo em ambos.

O presente é fugaz; a vida é fugaz. E é sábado, um dia que não foi feito para ser fugaz. Se águas devam rolar que seja nas calçadas.Vou ouvir na íntegra essa história um dia, mas de antemão já digo que a conheço, que já li a respeito; que a vi reproduzida em tela num dos tantos filmes de amor trágico que faziam sucesso nos cinemas de antes. Lembro de um em especial dirigido pelo King Vidor realizado em 1955, tendo chegado até nós dez anos depois.

O filme tem dois atores inesquecíveis e de irresistível carisma, um clima de amor e morte passado na Guerra da Coréia e uma música que, sinceramente, a gente ouve para buscar adjetivos e lacrimeja por não saber encontrá-los. A versão no cinema tem William Holden, como Mark Elliott, um correspondente de guerra americano e Jennifer Jones, como Drª Han Suyin, uma médica asiática.

Amor entregue, da época do romântico, separação brusca e prematura numa história apaixonante que recebeu no Brasil um título como se fosse letra de tango: Suplício de uma saudade. Foi um filme cuja trilha sonora oscarizada era ritmada por narizes fungando e soluços incontroláveis no escurinho do Corbacho, em tempos que se afirmava: homem não chora! Mas as gurias adoravam nos ver de olhos vermelhos.Entretanto porque hoje é sábado e eu quero apagar os cinco dias anteriores não vou buscar o filme na locadora nem rouba-lo da internet. Hoje não é dia para sofrer, hoje é dia de dormir a tarde e arrebentar a noite, até o último fôlego. E amar muito porque afinal há neblina densa na curva da vida e os faróis já não são os mesmos.

Certo que vou depositar um sorriso carinhoso, mesmo que um pouco amargo na memória de uma amiga dizendo-lhe em pensamento que a gente vive de morrer em alguns filmes. Porém, sempre somos chamados para estrelar outros e assim devemos estar preparados para viver com garra novos personagens. Somente assim eles também poderão tornar-se inesquecíveis.

Autora: Profª. Edylane Salomão - dilamil@yahoo.com.br